terça-feira, 28 de outubro de 2014

Umbandas e Umbanda: o diálogo intra-religioso.


Palestra ministrada no "II ENCONTRO OS UMBANDISTAS NO SÉCULO XXI: ATITUDES E SENTIMENTOS", DIA 25/10/2014, na sede da UNIÃO ESPIRITISTA DE UMBANDA DO BRASIL - UEUB.

Para baixar o arquivo é só clicar no link:

Umbandas e Umbanda: o diálogo intra-religioso.


Um abraço,


Pai Etiene Sales

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Sincretismo nosso de cada dia.


No Brasil e em outros países colonizados ou que uma "força de Estado exterior" provocou uma mudança de governo (as forças Romanas que conquistaram grande parte da Europa, Norte do continente Africano e parte do Oriente Médio, por exemplo) ou por absorção de aspectos filo-religiosos de outras culturas, por achá-los mais evoluídos ou melhores ou por contato de afinidade ou interação, o processo sincrético se fez envolvendo Deuses e/ou Divindades já conhecidas pelo povo local e outras que vieram com os colonizadores ou conquistadores.

No Brasil, por exemplo, ocorreu um processo de popularização das religiões (Catolicismo Popular, Protestantismo Popular, Espiritismo Popular ...). Não são ramificações ou cisões dentro da estrutura dos grandes conjuntos religiosos e/ou filosóficos, mas a visão que o senso comum (o povo, a massa) acaba criando em suas interpretação do Sagrado e sua interação com ele.

É um sincretismo sem fronteiras, pois na hora do desespero, do pedir, da necessidade, acaba fazendo a máxima Maia: "vale tudo ...". Entretanto, depois do efeito conseguido, se restabelece um puritanismo ortodoxo de críticas aos outros. Parece até hipocrisia, e realmente o é. Porém, pela necessidade ou pelo desespero, milhões passam atropelando suas crenças primárias para pedir isso ou aquilo em outros contextos religiosos.

No final do ano é muito comum ver isso nas praias, lagos, rios (quem não tem praia dá seu jeito ...) com pessoas de branco pedindo a Yemanjá prosperidade, saúde e tantas e tantas outras coisas. Só que muitas dessas pessoas são de Religiões que não cultuam os Orixás. Muito pelo contrário, ao longo do ano até combatem e maldizem os cultos Africanos e Africanistas, mas ali está "pulando as 7 ondas" na praia.

Para um bom ano de convivência entre as Religiões, poderíamos transformar essa hipocrisia ou ação de desespero, em algo que poderia unir os adeptos de várias crenças, em uma unidade de respeito ao que o outro faz, mas sem o proselitismo, sem a agressão, sem o constrangimento, mas apenas respeitando o que o outro faz como manifestação de fé, assim como Yemanjá aceita, protege, ajuda, embala ... todos àqueles que a procuram, independente da Religião que professam.

Asé ò, Saravá, Namastê, Amém, Shalom, Aloha, Mucuiú, Kolofé ... Deus esteja com você!!!

Pai Etiene Sales

Para saber mais:

BASTIDE, Roger. As Religiões Africanas no Brasil. Contribuição a uma Sociologia da Interpenetração de Civilizações, São Paulo, Pioneira, 1971
______. Contribuição ao estudo do sincretismo católico-fetichistas, Estudos Afro-Brasileiros, São Paulo, Perspectiva, 1973
BOFF, Leonardo. Igreja, Carisma e Poder, Petrópolis, Vozes, 1982.
BARRETO, M. A. P. “Sincretismo”, Dicionário de Ciências Sociais. Rio de Janeiro: FGV, 1986.
CAROSO, C. & BACELAR, J. (Org.) Faces da Tradição Afro-Brasileira. Rio de Janeiro/Salvador, Pallas/CEAO, 1999
CONSORTE, Josildeth G. Em Torno de um Manifesto de Ialorixás Baianas contra o Sincretismo. Rio de Janeiro: Pallas/CEAO, 1999
FERNANDES, Gonçalves. Sincretismo Religioso no Brasil, Curitiba, Guairá, 1941.
FERRETTI, Sergio. Repensando o Sincretismo, São Paulo/São Luís: EDUSP/ FAPEMA, 1995
DA MATTA, Roberto. A Casa e a Rua. Espaço, cidadania, mulher e morte no Brasil, Rio de Janeiro: Guanabara, 1987
_____. Conta de Mentiroso. Sete ensaios de antropologia brasileira, Rio de Janeiro, Roço, 1993.
LUZ, Marco A. & LAPASSADE, Georges. O Segredo da Macumba. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1972.
LUZ, Marco A. Cultura Negra e Ideologia do Recalque. Rio de Janeiro: Achiamé, 1983.
MOURA, Clóvis. Sociologia do Negro Brasileiro, São Paulo, Ática, 1988.
NUNES PEREIRA, M. A Casa das Minas: O culto dos voduns jeje no Maranhão, Petrópolis, Vozes, 1979
RODRIGUES, Nina. O animismo Fetichista dos Negros Baianos. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1935.
RAMOS, Arthur. A Aculturação Negra no Brasil, São Paulo, Nacional, 1942.
SERRA, Ordep. Águas do Rei, Petrópolis/Rio de Janeiro, Vozes/Koinonia, 1995.
SODRÉ, Muniz. O Terreiro e a Cidade. A forma social negro-brasileira, Petrópolis, Vozes, 1988.
VALENTE, Waldemar. Sincretismo Religioso Afro-Brasileiro, São Paulo, Nacional, 1976


Os textos do Blog, em parte ou na totalidade, podem ser compartilhados, desde que seja feita a referência ao autor.